FAQs
Perguntas e Respostas Frequentes

Máscaras


  P.:  Quanto tempo dura a minha máscara?  Preciso de trocar algum dos seus componentes?

  R.:  A durabilidade da máscara depende de inúmeros factores:

•             Utilização;
•             Gordura da pele;
•             Limpeza e manutenção;
•             Exposição à luz solar direta

A falta de cuidado diminui a sobrevida e performance da máscara, pelo que deve inspecionar a máscara de modo regular. Como a máscara é constituída por vários componentes (máscara (suporte), arnês, clips de fixação e almofada), quando se verificam danos na máscara, não significa que esta tem que ser substituída integralmente. 

  P.: É necessário substituir a almofada da máscara? 

  R.: Alguns componentes da máscara devem ser substituídos periodicamente. A almofada da máscara deve ser substituída quando fica gasta e consequentemente menos eficiente. Pode também ter que substituir a almofada caso verifique pequenos rasgos ou orifícios que possam provocar fugas de ar.


  P.: É necessário substituir o arnês da máscara? 

  R.: A durabilidade do arnês depende de vários factores (gordura da pele, ambiente, limpeza, frequência de utilização, entre outros). Para aumentar a sua sobrevida, deve lavar o arnês à mão pelo menos uma vez por semana, e secá-lo fora do alcance da luz solar directa. Quando o arnês perder a elasticidade ou ficar danificado, deve substituí-lo. 


  P.: Que cuidados devo ter quando lavo a máscara?

  R.: Na limpeza e manutenção da máscara deve ter em consideração os seguintes cuidados para maximizar a sua durabilidade:

•             lavar a máscara e os seus acessórios apenas com produtos de limpeza adequados (sem perfumes, hidratantes, anti-bacterianos e lixívias);

•             Secar a máscara e os seus acessórios sem exposição directa à luz solar;

•             Fazer a limpeza da sua máscara e acessórios com regularidade.


Se tiver alguma dúvida, contacte o profissional de saúde que o acompanha.


  P.: Como devo ajustar o arnês da máscara? 

  R.:O arnês deve ser ajustado de forma a evitar fugas de ar pela máscara e garantir o conforto. Os seguintes passos indicam a ordem correcta de colocação e ajuste da máscara e do         arnês:

•             Colocar a máscara;
•             Apertar o arnês de forma a obter um ajuste estável e confortável;
•             Ligar o aparelho para verificar a existência de fugas de ar;
•             Deitar e relaxar durante alguns minutos (quando relaxamos os músculos faciais alteram);
•             Ajustar o arnês caso verificar alguma fuga de ar residual.


  P.: Tenho que apertar muito a máscara para conseguir evitar as fugas de ar através da máscara. É normal esta situação? 

  R.:  Para maximizar o conforto e a eficácia do tratamento, é muito importante que a máscara se adapte correctamente às características anatómicas do utente. Quando a máscara               tem que ser demasiado apertada para evitar as fugas de ar, é provável que se verifique alguma das seguintes situações:

•             Ajuste incorrecto da máscara;

•             Utilização de uma máscara com tamanho incorrecto


  P.: Se eu estragar algum dos componentes da máscara, posso comprá-lo individualmente ou tenho que comprar uma máscara nova?

  R.:  A maioria dos acessórios das máscaras (arnês, interface, clips de fixação) pode ser comprada em separado. Informe-se com o profissional de saúde que o acompanha.


  P.: Quando é que é preferível usar uma máscara facial em vez de uma máscara nasal?

  R.:  Se respira ou tem fugas pela boca, não está a receber a pressão completa do tratamento e todos os benefícios do mesmo. Nestes casos, deve ser utilizada uma máscara facial para evitar a perda de ar pela boca e, consequentemente, resolver os sintomas de garganta seca e a dificuldade de respirar pelo nariz devido a problemas nasais (exemplo: desvio do septo nasal). 


  P.: Por vezes removo a máscara durante o sono sem me aperceber. Tenho reparado que isto acontece principalmente quando tenho alergias ou sinusite. Porque é que isto acontece?

  R.:  Este problema geralmente acontece devido á congestão nasal. Se tem uma história de sinusite ou problemas alérgicos, deve ser tratado com uma máscara facial e/ou humidificador, para aumentar o conforto durante o sono e evitar que remova a máscara. Exponha este problema ao profissional de saúde que o acompanha. 


  P.: Eu tenho o nariz totalmente obstruído de um lado devido a um desvio do septo. Posso usar uma mascara nasal?

  R.:  É muito provável que respire pela boca uma vez que o desvio do septo bloqueia a passagem de ar pela narina obstruída. Assim sendo, a máscara mais adequada é a facial uma vez que permite que respire opcionalmente pelo nariz e/ou boca. 


  P.: O humidificador continua a funcionar bem se eu usar uma máscara facial?

  R.:  Sim, o humidificador pode ser utilizado com os dois tipos de máscaras (nasais e faciais). Em casos específicos, a utilização de uma máscara facial reduz ou elimina a necessidade do humidificador, o que constitui uma vantagem efectiva.


  P.: Existe perigo de asfixia se ficar sem electricidade?

  R.:  Não há qualquer perigo de asfixia em caso de ficar sem electricidade pois todas as nossas máscaras têm válvulas ou orifícios anti-asfixia que permitem que respire normalmente o ar ambiente em caso de falha de electricidade.


  P.: Qual é a melhor máscara em termos de conforto, a nasal ou a facial? 

  R.: A preferência pela máscara nasal ou pela máscara facial é pessoal, pois ambas são fabricadas de modo a maximizar o conforto do paciente.
A escolha do tipo de máscara é feita pelo profissional de saúde tendo em conta a preferência do paciente, a existência/ausência de fugas pela boca durante o sono, a presença/ausência de ansiedade ou claustrofobia, entre outros.


  P.: Em que situações é que pode haver fugas de ar pela máscara? 

  R.: As fugas de ar pela máscara são frequentes nas seguintes situações:

•             Ajuste incorrecto da máscara;

•             Montagem incorrecta dos componentes da máscara;

•             Tamanho incorrecto da mascara.

Caso sinta fugas de ar, fale com o profissional de saúde que o acompanha.


  P.: Como é que eu sei qual é a melhor máscara para mim?

  R.: É muito importante que a máscara seja eficaz, confortável e não exerça pressão nas áreas sensíveis da face (septo nasal e lábio superior). Deve experimentar mais do que uma máscara e aconselhar-se sempre com os nossos profissionais de saúde pois são as pessoas mais indicadas para o fazer.
Se tiver alguma dúvida que não foi mencionada, não hesite em contactar o profissional de saúde que o acompanha.


Problemas de Pele


  P.: O silicone da máscara pode desencadear uma reacção alérgica?

  R.: Reacções alérgicas ao silicone são extremamente raras. É mais frequente a irritação da pele/feridas, que por vezes ocorrem, serem provocadas pelas pressões elevadas e outros factores associados do que pelo próprio silicone.


  P.: Porque posso ficar com irritação de pele? 

  R.: A irritação de pele pode ocorrer nas seguintes situações:

•             Ajuste incorrecto das fitas do arnês (demasiado laço ou apertado);
•             Máscara inadequada (tamanho incorrecto ou características incorrectas);
•             Máscara gasta com necessidade de substituição;
•             Máscara suja (o silicone pode absorver contaminantes tais como gordura, suor, sujidade e cremes para a pele, que quando em contacto prologado com a pele,                      podem-na irritar).


  P.: Porque fico com irritação nasal quando faço Ventiloterapia?  

  R.: O fluxo de ar constante, especialmente a pressões de tratamento elevadas, pode provocar secura, irritação e/ou sangramento (epistaxis) do nariz.


Humidificadores


  P.: Porque preciso de utilizar o humidificador aquecido? 

  R.: O humidificador aquecido adiciona humidade e calor ao ar emitido pelo equipamento, o que reduz os sintomas de congestão nasal e secura do nariz/garganta proporcionando maior conforto. Uma grande percentagem dos utilizadores de CPAP/AutoCPAP experimentam estes sintomas que por vezes são tão incomodativos que levam à interrupção do tratamento. Assim sendo, caso experimente alguma desta sintomatologia, não hesite em contactar o profissional de saúde que o acompanha. 


  P.: Qual a quantidade de água que é normal gastar em cada noite?

  R.: A quantidade de água necessária em cada noite varia em função de alguns factores:

•             Características do paciente;
•             Temperatura do ar ambiente;
•             Humidade do quarto;
•             Existência de fugas ou respiração pela boca.

Assim sendo, deverá encher o reservatório de água até ao limite máximo indicado, que assegurará a quantidade necessária para toda a noite.


  P.: Se eu trocar a máscara nasal por uma facial, utilizo mais água durante a noite?

  R.: A utilização da máscara facial não altera a quantidade de água necessária em cada noite. Pelo contrário, poderá notar que a quantidade de água utilizada diminui, o que se deve à eliminação das fugas de ar pela boca e não à máscara em si. 


  P.: Quando utilizo o humidificador, por vezes encontro gotas de água na traqueia quando acordo. Porque é que isto acontece?

  R.: A quantidade de humidade (vapor de água) que o ar consegue reter varia com a temperatura. À medida que o ar aquecido fica mais frio, reduz a capacidade para reter vapor de água e provoca condensação (pingos de água). Assim, se o seu quarto é frio, quando o ar aquecido e humidificado que sai do aparelho entra em contacto com a temperatura mais fria do quarto, provoca a condensação do vapor de água na traqueia. Este fenómeno pode ser reduzido/evitado das seguintes formas:

  •          Baixar o nível de humidificação;
  •          Aumentar a temperatura do quarto durante a noite (diminuir a diferença de temperatura entre o quarto e o humidificador);
  •          Passar a traqueia por baixo do cobertor (manter a traqueia e o ar que por ela passa aquecidos).

  P.: Com que frequência devo mudar a água do reservatório? 

  R.: Apesar de não utilizar a água toda do reservatório numa única noite, deve mudá-la após cada utilização.


  P.: A máscara e a traqueia ficam gastas mais depressa devido à utilização do humidificador? 

  R.: Não, a traqueia e a máscara que lhe foram fornecidas suportam temperaturas mais elevadas que as temperaturas geradas pelo humidificador. 


  P.: Como devo programar o meu humidificador? 

  R.: Os parâmetros programados no seu humidificador determinam a humidade do ar que irá receber. Assim sendo, se iniciar a programação, por exemplo, num ponto intermédio e se a sua sintomatologia não desaparecer, poderá ser necessário aumentar o parâmetro. Por outro lado, se notar humidade na traqueia, poderá ser necessário baixar o parâmetro ou aquecer o quarto. Deve sempre analisar a sua situação com o profissional de saúde que o acompanha uma vez que a humidade necessária para cada paciente varia em função de inúmeros factores.


  P.: Com que regularidade devo limpar o reservatório do humidificador? 

  R.: Idealmente, deve limpar o seu humidificador diariamente com água tépida e um detergente adequado (sem perfumes, hidratantes, anti-bacterianos e lixívias). Enxagúe abundantemente com água limpa e seque fora do alcance da luz solar. Semanalmente, deve inspeccionar o reservatório de água para verificar que este não se apresenta gasto nem deteriorado. Caso verifique fissuras em algum dos componentes ou coloração opaca, fale com o profissional de saúde que o acompanha, pois é necessária a substituição dos componentes danificados. Em caso de verificar partículas brancas ou depósitos na câmara de agua, deve lava-lo uma das seguintes formas:

•             Encha o reservatório de água até ao nível máximo e ateste-o com uma solução de uma parte de vinagre para dez partes de água; Deixe a solução actuar durante                    dez minutos; Deite a solução fora e enxagúe a câmara de água com água limpa; Seque o reservatório fora do alcance da luz solar.

•             Utilize um produto adequado para o efeito. Para mais informações, contacte com o profissional de saúde que o acompanha. 


  P.: Devo ligar o humidificador algum tempo antes de me deitar?

  R.: Pode ligar o humidificador quando se for deitar, no entanto, caso sinta o ar seco e irritante, deve ligar o humidificador cerca de 15 a 20 minutos antes de se deitar. 


  P.: Geralmente uso o meu humidificador apenas durante os meses de inverno. Devo usar o humidificador o ano inteiro? 

  R.: Em caso de verificar sintomas do nariz/garganta noutras alturas do ano, deverá utilizar o seu humidificador. Em caso contrário, não necessita do humidificador.


  P.: Quais são os benefícios de utilizar um humidificador aquecido. Qual o tipo de máscara mais apropriada nestes casos? 

  R.: Uma vez que pode ajustar o nível de calor, o humidificador aquecido oferece grande flexibilidade e reduz os sintomas mais severos que poderá sentir. Tanto as máscaras de almofadas nasais (máscaras especiais) como as mascaras nasais/especiais são uma opção viável na utilização de humidificador, no entanto, com a utilização de almofadas nasais a condensação poderá ser um problema uma vez que a humidade fica directamente nas narinas. 


  P.: O humidificador é útil na Síndroma da Resistência das Vias Aéreas Superiores? 

  R.: O humidificador, por si só, não melhora a apneia obstrutiva do sono nem a resistência das vias aéreas superiores. No entanto, se faz ventiloterapia e refere secura/outros sintomas do nariz/garganta, o humidificador pode auxiliar o tratamento. 


 Se tiver alguma dúvida que não foi aqui apresentada, não hesite em contactar o profissional de saúde que o acompanha.